O assassinato do Ciclismo Feminino pelo covarde Lappartient

UCI. Sigla que, ao contrário da ultimamente ouvista pelos noticiários, significa União Ciclista Internacional. Na sua essência, esta UCI mais não é que o corpo governativo regulador de toda a actividade velocipédica profissional, semi-profissional, amadora e amadora de fim de semana neste Terceiro Calhau a contar do Sol, uma espécie de F.I.F.A. só que dedicada a …

Continue lendo O assassinato do Ciclismo Feminino pelo covarde Lappartient

Presos No Estrangeiro (lá de fora) – a versão velocipédica

A segunda edição do Tour dos Emirados Árabes Unidos, UAE Tour em cámone, uma daquelas provas que permite comprovar o quanto os líderes da elite velocipédica mundial se preocupam com Tradição (todos conhecem o amor dos árabes por Bicicletas em detrimento de enlatados de alta cilindrada e camelos, sendo a palavra "camelo" aqui utilizada sem …

Continue lendo Presos No Estrangeiro (lá de fora) – a versão velocipédica

A tomada da Mítica EN2 – parte II

Se algum dos mui habituais seguidores deste espaço velocibernético visse o Velopata, enquanto ele mais ou menos se sentia a rebolar pelos corredores do humilde estabelecimento de pernoita com uma só estrela, felizmente Michelin, jamais alguém acarditaria que ele era efectivamente o Velopata, esse mundialmente famoso Ciclista de compleição somali pontuado com anorexia nervosa, escassos minutos em antes de se lançar …

Continue lendo A tomada da Mítica EN2 – parte II

A tomada da Mítica EN2 – parte I

O Velopata acordou em Chaves com aquela sensação de garganta escalafrada e aeropenca entupida, fruto das alternantes temperaturas de final de estação veraneante que se fizeram sentir pelo reino dos algarves e arredores, ao contrário dos seus gloriosos tempos de juventude onde acordar nestes trânmites era sintomático de uma véspera de copofonia e fumanço em …

Continue lendo A tomada da Mítica EN2 – parte I