Do Jejum & Regresso

Sempre que o Velopata é forçado a horas, dias, semanas ou até... (pausa para engolir em seco) Meses afastado do nobre acto de pedalar, alevantam-se uma série de sintomas de Abstenção Velocipédica facilmente identificáveis por qualquer veterinário sem necessidade de recorrer a complicados exames. Eis uma lista; Irritabilidade - dar ao pedal auxilia o libertar de energias …

Continue lendo Do Jejum & Regresso

Buzinadelas da vida

O dia começou como outros tantos no quotidiano velopático. O Velopata deixou o conforto do lar para se deslocar até lá onde ele afincadamente labuta como quem afincadamente labuta mesmo, ao comando da sua Cappuccino que importa reiterar como quem reitera mesmo, é uma Bicicleta dobrável de roda 20". Aproximando-se da primeira intersecção alcatroada que …

Continue lendo Buzinadelas da vida

Uma Escapadela Altimétrica – finalmente, o Capítulo Final

- Estás bem? - Não. Ele sente-se que nem um esfregão da louça esquecido ao Sol durante vários dias. -  Pois, costumas subir melhor... - Cada centímetro que ele subiu foi como tentar espremer um litro de água desse esfregão da louça ressequido.   No cume do topo mais em alto de Portugal Continental, a mítica Torre, …

Continue lendo Uma Escapadela Altimétrica – finalmente, o Capítulo Final

Divisão Velopata – Em Abril cada carocha dá mil

"Desisti porque comecei a sentir-me cansado." "Uai, como é que é?" "Sim, não estava a correr muito bem e depois comecei a sentir cansaço e achei melhor desistir." Foi com estas blasfemas palavras proferidas por trás do balcão da loja de especialidade velocipédica no Centro do Universo Velopático Conhecido que Lagartixa, aquele que por este …

Continue lendo Divisão Velopata – Em Abril cada carocha dá mil

Divisão Velopata – Em Março cada dia chove um pedaço

Tum! Tum! Tum! "O que é isto?" - balbuciou uma atordoada Srª Velopata, agora acordada no sofá do casal velopático por tão estranho som proveniente das profundezas do lar. Tum! Tum! Tum! A inquieta Srª Velopata alevantou-se do sofá e procurou a fonte de tamanho ruído. Encontrou o Velopata prostado sobre as nobres montadas que repousavam nos …

Continue lendo Divisão Velopata – Em Março cada dia chove um pedaço

Divisão Velopata – Ao Fevereiro e ao ciclista perdoa tudo quanto faz, se Fevereiro não for ressabiado nem o ciclista encarochado

Fevereiro é o mês do nirvana velocipédico no reino do Algarve. Ou Allgarve. Ou Hellgarve, de acordo com as sensações nas pernas de alguns. Para além da presença de alguma elite ressabiada do pelotão profissional World Tour nas nossas estradas com a Volta ao Algarve (eficazmente coberta pelo Velopata aqui), há espaço para mais três eventos de ciclismo …

Continue lendo Divisão Velopata – Ao Fevereiro e ao ciclista perdoa tudo quanto faz, se Fevereiro não for ressabiado nem o ciclista encarochado

Divisão Velopata – Ande o frio onde andar, no Natal há que pedalar

"Mas olha lá ó Velopata, isso é mesmo coisa de comuna." "O quê?" "Essa tua teoria de deixar de celebrar o Natal a vinte e cinco de Dezembro, isso é mesmo cena à comuna." "Olha lá, Portugal não é um estado laico?" "Sim, mas..." "Sim, mas nada. Se Portugal é um estado laico então todas …

Continue lendo Divisão Velopata – Ande o frio onde andar, no Natal há que pedalar

A Odisseia Algarvia 2017: A Maldição da Figueira – parte II

De estômagos carregados de fatias douradas e pastéis de nata, hidratados com limonada fresquinha e excitados com cafeína, também ela fresquinha, com a motivação ao rubro pela carta da queridíssima Lioness of Porches, a horda velopática deixou o Germano Biciarte Café para trás, lançando-se em direção ao IC1. Um Itinerário Complementar, no vulgo IC, designa …

Continue lendo A Odisseia Algarvia 2017: A Maldição da Figueira – parte II