O assassinato do Ciclismo Feminino pelo covarde Lappartient

UCI. Sigla que, ao contrário da ultimamente ouvista pelos noticiários, significa União Ciclista Internacional. Na sua essência, esta UCI mais não é que o corpo governativo regulador de toda a actividade velocipédica profissional, semi-profissional, amadora e amadora de fim de semana neste Terceiro Calhau a contar do Sol, uma espécie de F.I.F.A. só que dedicada a …

Continue lendo O assassinato do Ciclismo Feminino pelo covarde Lappartient

Euvelonásia

- Tu já me viste isto? A voz da Srª Velopata exalava indignação por entre as voluptosas garfadas no gratinado de courgette e cogumelos preparado em antes pelo Velopata, como habitualmente sempre confeccionado com elevadas doses de muito amor e carinho mas agora ainda em mais porque está aí a Volta ao Algarve e todas as ajudas à …

Continue lendo Euvelonásia

Uma Escapadela Altimétrica – parte I

Contraste. Substantivo Masculino. Oposição ou variação de luz, tons ou cores. Diferença considerável. Comparação para verificar diferenças. Oposição entre pessoas ou coisas. in Diccionário Priberam da Língua Portuguesa.   Se uma palavra existe que permita ao Velopata descrever sucintamente o que foram aqueles três dias de Escapadela Altimétrica à qual ele (o Velopata), acompanhado do seu …

Continue lendo Uma Escapadela Altimétrica – parte I

A tomada da Mítica EN2 – parte II

Se algum dos mui habituais seguidores deste espaço velocibernético visse o Velopata, enquanto ele mais ou menos se sentia a rebolar pelos corredores do humilde estabelecimento de pernoita com uma só estrela, felizmente Michelin, jamais alguém acarditaria que ele era efectivamente o Velopata, esse mundialmente famoso Ciclista de compleição somali pontuado com anorexia nervosa, escassos minutos em antes de se lançar …

Continue lendo A tomada da Mítica EN2 – parte II

Divisão Velopata – A carocha, Maio a dá e Maio a leva

Parcas letras e palavras que se materializam na tela branca do monitor que logo de seguida são obliteradas para todo o sempre. Não servem, nunca estão boas o suficiente. Um cérebro que teima em não desenvolver, como um cubo de rodas Shimano R500 que, para além de extremamente fraquinhas, já calcorrearam muitos quilómetros. Os esguios …

Continue lendo Divisão Velopata – A carocha, Maio a dá e Maio a leva

A Odisseia Algarvia 2017: A Maldição da Figueira – parte I

Yo no creo en brujas... Pero que las hay, las hay... Ditado popular castelhano, autoria desconhecida.   04:30 da madrugada de domingo, 08 de Outubro do ano de Sua Santidade Joaquim Agostinho de 2017. Pelas paredes do adormecido quarto velopático ecoa a melancólica voz de Dot Allison na fabulosa faixa que é "Dirge" dos Death …

Continue lendo A Odisseia Algarvia 2017: A Maldição da Figueira – parte I

À conversa com… Alberto Contador

Nesta fase da vida deste pequeno recanto velointernético, já será do conhecimento do mais-que-tudo leitor; o casal Velopata não partilha do gosto e prazer que a vasta maioria dos leitores possuem, apesar de tal facto não tornar o leitor menos fofucho. O Velopata escreve sobre o consumo de cadáveres de animais. Seus bárbaros. E ainda por cima, …

Continue lendo À conversa com… Alberto Contador