A influência do Influenza

- Ó Velopata! Estás bem? Faz dias e dias que nada publicas neste nosso acarinhado espaço de referência velointernética, não enches nossos feeds strávicos com os teus commutes e nem um bom fim de ano desejastesss aos teus seguidores... Que se passa? Esta foi a pergunta que vós, queridos milhares de milhões de seguidores, não …

Continue lendo A influência do Influenza

Uma Escapadela Altimétrica – a primeira parte do Capítulo Final

- Tenho quase a certeza, a subida para a Torre pela Covilhã está fechada ao trânsito hoje. A dura realidade das palavras proferidas pela Senhora do Hotel atingia Velopata e Agente da Autoridade Anónimo (AAA), com a potência de um soco no estômago, faces torcidas em esgares que qualquer transeunte connoisseur o identificaria - aquela …

Continue lendo Uma Escapadela Altimétrica – a primeira parte do Capítulo Final

Divisão Velopata – Maio frio e Junho quente, boa carocha e empeno valente

Junho. O sexto mês do calendário apostólico, evangélico, adventista e greco-romano ou lá o que é, marcando aquele que é o miolo de um ano de Nosso Senhor Joaquim Agostinho. Um mês marcado por fortes emoções, não só por entre a nata da nata da velocipedia strávica que é a Divisão Velopata, mas também pelo mundo civil …

Continue lendo Divisão Velopata – Maio frio e Junho quente, boa carocha e empeno valente

Divisão Velopata – A carocha, Maio a dá e Maio a leva

Parcas letras e palavras que se materializam na tela branca do monitor que logo de seguida são obliteradas para todo o sempre. Não servem, nunca estão boas o suficiente. Um cérebro que teima em não desenvolver, como um cubo de rodas Shimano R500 que, para além de extremamente fraquinhas, já calcorrearam muitos quilómetros. Os esguios …

Continue lendo Divisão Velopata – A carocha, Maio a dá e Maio a leva

Uma publicação sobre uma não-publicação

Não é desespero. Também não é nervoso. Seja ele miudinho ou graúdo. Será ansiedade? Nos dias que antecedem um Grande Objectivo, uma Grande Volta, a incessante busca do nirvana velocipédico, há algo que o Velopata faz mal. Dormir. O sono recuperador. Atormentado por todos os receios, medos, cagufas e todos os pesadelos que só o cérebro …

Continue lendo Uma publicação sobre uma não-publicação

Os Dez Mandamentos Velocipédicos – versão urbana

Foi encontrado morto em sua casa. A Jardim da Escócia (Scotland Yard, em cámone), tomou conta do ocorrido, registando o óbito a 5 de Novembro do Ano de Sua Ainda-Desconhecida e Futura Santidade Joaquim Agostinho de 1922. Lorde Carvanon, um reconhecido antropofilíaco obstinado com relíquias egípcias, batia a bota. Atónitos com a macabra cena que presenciaram ao …

Continue lendo Os Dez Mandamentos Velocipédicos – versão urbana

Eu continuo a não estar aqui. Isto continua a não acontecer.

O trio Velopata, Srª Velopata e Velopatazinho passeava pela capital algarvia do desenfreado consumo e capitalismo sem lei que é o Fórum Algarve, quando a Srª Velopata decidiu levar o Velopatazinho até uma de entre as muitas lojas de roupa para fêmeas, mais ou menos machos e infantes, conseguindo o Velopata escapulir-se para uma dose …

Continue lendo Eu continuo a não estar aqui. Isto continua a não acontecer.