Divisão Velopata – A carocha de Julho, no alcatrão não faz barulho

Se palavra existe que descreve o que foi este mês de Julho no seio da elite velocipédica do mais grandioso clube strávico que é a Divisão Velopata, essa palavra é... Revelação. Desde a revelação da existência de mais um marafado por terras de Sua Majestade Brexitiana, que com alergias e asma e maleitas e doenças é capaz …

Continue lendo Divisão Velopata – A carocha de Julho, no alcatrão não faz barulho

Divisão Velopata – A carocha, Maio a dá e Maio a leva

Parcas letras e palavras que se materializam na tela branca do monitor que logo de seguida são obliteradas para todo o sempre. Não servem, nunca estão boas o suficiente. Um cérebro que teima em não desenvolver, como um cubo de rodas Shimano R500 que, para além de extremamente fraquinhas, já calcorrearam muitos quilómetros. Os esguios …

Continue lendo Divisão Velopata – A carocha, Maio a dá e Maio a leva

Arades e Sobreires – um longo sábado de treino

O Velopata acordou com aquela sensação de vazio cerebral, bafo capaz de trucidar o mais formoso dos malmequeres e a barba molhada, fruto da baba que muito provavelmente escorria devido ao sonho de uma pedalada montado numa lindíssima Cannondale Synapse toda montada em Ultegra. Verdade seja escrita, aquilo não foi bem acordar. Assemelhou-se mais a …

Continue lendo Arades e Sobreires – um longo sábado de treino

Os Dez Mandamentos Velocipédicos – versão urbana

Foi encontrado morto em sua casa. A Jardim da Escócia (Scotland Yard, em cámone), tomou conta do ocorrido, registando o óbito a 5 de Novembro do Ano de Sua Ainda-Desconhecida e Futura Santidade Joaquim Agostinho de 1922. Lorde Carvanon, um reconhecido antropofilíaco obstinado com relíquias egípcias, batia a bota. Atónitos com a macabra cena que presenciaram ao …

Continue lendo Os Dez Mandamentos Velocipédicos – versão urbana

Eu continuo a não estar aqui. Isto continua a não acontecer.

O trio Velopata, Srª Velopata e Velopatazinho passeava pela capital algarvia do desenfreado consumo e capitalismo sem lei que é o Fórum Algarve, quando a Srª Velopata decidiu levar o Velopatazinho até uma de entre as muitas lojas de roupa para fêmeas, mais ou menos machos e infantes, conseguindo o Velopata escapulir-se para uma dose …

Continue lendo Eu continuo a não estar aqui. Isto continua a não acontecer.

Chave Dicotómica para identificação de clientes de lojas velocipédicas – Parte III

Agora que já todos atingimos a marca dos 5 quilogramas de peso excessivo findo o período festivo de Natal e Passagem de Ano, o Velopata termina hoje a sua contribuição para a melhoria da qualidade de vida de todos os que habitam nesse ecossistema que são as lojas de especialidade velocipédica, publicando o final da …

Continue lendo Chave Dicotómica para identificação de clientes de lojas velocipédicas – Parte III

A Odisseia Algarvia 2017: A Maldição da Figueira – parte II

De estômagos carregados de fatias douradas e pastéis de nata, hidratados com limonada fresquinha e excitados com cafeína, também ela fresquinha, com a motivação ao rubro pela carta da queridíssima Lioness of Porches, a horda velopática deixou o Germano Biciarte Café para trás, lançando-se em direção ao IC1. Um Itinerário Complementar, no vulgo IC, designa …

Continue lendo A Odisseia Algarvia 2017: A Maldição da Figueira – parte II