Porque odeia o enlatado – parte I

Recentemente, culminou uma mini-série de seis documentários no Cánau Dizcóveri (que lido em português correcto, ao contrário do estranho sotaque televisivo, será algo como Canal Discovery), que muito aprouve ao casal Velopata (à hora de emissão, o Velopatazinho já simulava rolos de treino no Vale dos Lençóis, ainda assim é firme convicção velopática que chegando …

Continue lendo Porque odeia o enlatado – parte I

Divisão Velopata – A carocha de Julho, no alcatrão não faz barulho

Se palavra existe que descreve o que foi este mês de Julho no seio da elite velocipédica do mais grandioso clube strávico que é a Divisão Velopata, essa palavra é... Revelação. Desde a revelação da existência de mais um marafado por terras de Sua Majestade Brexitiana, que com alergias e asma e maleitas e doenças é capaz …

Continue lendo Divisão Velopata – A carocha de Julho, no alcatrão não faz barulho

“As meninas à volta do pódio…” – já cantava o Paulo de Carvalho

"Durante o Tour, para os raros momentos livres, o importante é levar preservativos. Nunca se sabe onde vão pernoitar as meninas do pódio." Jan Bakelants, ciclista profissional da AG2R-La Mondiale   Pois é queridos leitores, amigos, fãs e coiso que buscam a iluminação velocipédica neste alucinado recanto internético, a barraca está novamente armada, com recurso …

Continue lendo “As meninas à volta do pódio…” – já cantava o Paulo de Carvalho

O primeiro Tour do Velopatazinho – a chegada aos Campos Elíseos

O Velopata acorda. Sentado na mesa da cozinha, sorve lentamente o iogurte natural biológico condimentado com uma colherada de mel que escorre sobre a mistura de aveia e frutos secos. Observa os azulejos brancos da parede mas, na realidade, a sua mente viaja... Está lá, na França.  Cafézada na varanda, agora sem o acompanhamento da famigerada cigarrada. …

Continue lendo O primeiro Tour do Velopatazinho – a chegada aos Campos Elíseos

Bambis, Caracóis e Crocodilos – uma aventura ao Alqueva, Parte I

"É já alêm." A.A. informando a distância que falta percorrer até determinado ponto. (A.A. significa Alentejano Anónimo) "Eu sou um gajo optimista." - afirmava o Falso Lento enquanto bebericava uma chávena de café na primeira paragem do dia em Cortelha, ainda nem 30 quilómetros realizados dos 430 planeados. "Tu vais além do optimismo." - rematou o Velopata. "Como …

Continue lendo Bambis, Caracóis e Crocodilos – uma aventura ao Alqueva, Parte I