Um conto de arrepiar

Tómané acordou como em tantos outros fins de semana acordara; tomou um pequeno-almoço suficiente para fazer marchar toda uma legião romana e... - Ó Velopata, ma´ que raios de maneira de começar um conto é essa? - reclamará o mui querido e cheio de razão leitor. Era uma vez. Assim é que é. Era uma …

Continue lendo Um conto de arrepiar

Divisão Velopata – Em Setembro pedala, encarocha e empena, que é mês para tudo

É curioso como com tudo isto da telelabuta, um bicho humano como o Velopata até se esquece como é o quotidiano da urbe. Por exemplo; o Velopata seguia a penantes e com o Velopatazinho às cavalitas por uma ruela onde o passeio naquela fofinha calçada portuguesa era de uma largura inferior a "estreito", quando um …

Continue lendo Divisão Velopata – Em Setembro pedala, encarocha e empena, que é mês para tudo

A tomada da Mítica EN2 – parte III

Tendes a certeza que aquilo são relâmpagos? O Velopata questionava o Agente da Autoridade Anónimo numa extenuante luta entre conseguir injectar golfadas de precioso oxigénio nos pulmões tentando não bolsar quiçá até regurgitar as anteriores opções alimentares proporcionadas pela visita ao McDonald´s biseuense forrada pelas sobremesas gentilmente fornecidas por Professor Carochas, no decurso de uma excruciante subida para Fail, incontornável …

Continue lendo A tomada da Mítica EN2 – parte III

Divisão Velopata – A carocha, Maio a dá e Maio a leva

Parcas letras e palavras que se materializam na tela branca do monitor que logo de seguida são obliteradas para todo o sempre. Não servem, nunca estão boas o suficiente. Um cérebro que teima em não desenvolver, como um cubo de rodas Shimano R500 que, para além de extremamente fraquinhas, já calcorrearam muitos quilómetros. Os esguios …

Continue lendo Divisão Velopata – A carocha, Maio a dá e Maio a leva

Arades e Sobreires – um longo sábado de treino

O Velopata acordou com aquela sensação de vazio cerebral, bafo capaz de trucidar o mais formoso dos malmequeres e a barba molhada, fruto da baba que muito provavelmente escorria devido ao sonho de uma pedalada montado numa lindíssima Cannondale Synapse toda montada em Ultegra. Verdade seja escrita, aquilo não foi bem acordar. Assemelhou-se mais a …

Continue lendo Arades e Sobreires – um longo sábado de treino

Divisão Velopata – Ao Fevereiro e ao ciclista perdoa tudo quanto faz, se Fevereiro não for ressabiado nem o ciclista encarochado

Fevereiro é o mês do nirvana velocipédico no reino do Algarve. Ou Allgarve. Ou Hellgarve, de acordo com as sensações nas pernas de alguns. Para além da presença de alguma elite ressabiada do pelotão profissional World Tour nas nossas estradas com a Volta ao Algarve (eficazmente coberta pelo Velopata aqui), há espaço para mais três eventos de ciclismo …

Continue lendo Divisão Velopata – Ao Fevereiro e ao ciclista perdoa tudo quanto faz, se Fevereiro não for ressabiado nem o ciclista encarochado

Os Dez Mandamentos Velocipédicos – versão urbana

Foi encontrado morto em sua casa. A Jardim da Escócia (Scotland Yard, em cámone), tomou conta do ocorrido, registando o óbito a 5 de Novembro do Ano de Sua Ainda-Desconhecida e Futura Santidade Joaquim Agostinho de 1922. Lorde Carvanon, um reconhecido antropofilíaco obstinado com relíquias egípcias, batia a bota. Atónitos com a macabra cena que presenciaram ao …

Continue lendo Os Dez Mandamentos Velocipédicos – versão urbana