Divisão Velopata – Se queres ser bom Carocheiro, empena no crescente de Janeiro

Se o Velopata fosse cardíacofilíaco, jamais ele teria sobrevivido ao transacto mês de Janeiro do ano de Nosso Senhor Joaquim Agostinho de dois mil e vinte. Olhando para trás como quem olha mesmo para trás, toda esta catadupa de acontecimentos aponta sua origem no Parlamento Português, aquando da votação para condenar ou não (porque óbviamente existem …

Continue lendo Divisão Velopata – Se queres ser bom Carocheiro, empena no crescente de Janeiro

A influência do Influenza

- Ó Velopata! Estás bem? Faz dias e dias que nada publicas neste nosso acarinhado espaço de referência velointernética, não enches nossos feeds strávicos com os teus commutes e nem um bom fim de ano desejastesss aos teus seguidores... Que se passa? Esta foi a pergunta que vós, queridos milhares de milhões de seguidores, não …

Continue lendo A influência do Influenza

Uma Escapadela Altimétrica – finalmente, o Capítulo Final

- Estás bem? - Não. Ele sente-se que nem um esfregão da louça esquecido ao Sol durante vários dias. -  Pois, costumas subir melhor... - Cada centímetro que ele subiu foi como tentar espremer um litro de água desse esfregão da louça ressequido.   No cume do topo mais em alto de Portugal Continental, a mítica Torre, …

Continue lendo Uma Escapadela Altimétrica – finalmente, o Capítulo Final

Uma Escapadela Altimétrica – a primeira parte do Capítulo Final

- Tenho quase a certeza, a subida para a Torre pela Covilhã está fechada ao trânsito hoje. A dura realidade das palavras proferidas pela Senhora do Hotel atingia Velopata e Agente da Autoridade Anónimo (AAA), com a potência de um soco no estômago, faces torcidas em esgares que qualquer transeunte connoisseur o identificaria - aquela …

Continue lendo Uma Escapadela Altimétrica – a primeira parte do Capítulo Final

Uma Escapadela Altimétrica – parte II

O Velopata comandava a Estrela Vermelha serra acima, a Torre já iminente no horizonte. O nosso querido astro brilhava pleno no alto mas a Temperatura não era sufocante. O eterno inimigo vento frontal, fraco ou ausente, sintoma de que a rameira do São Pedro ainda devia dormitar. R.p.m após r.p.m., o Velopata aproximava-se do objectivo de …

Continue lendo Uma Escapadela Altimétrica – parte II

Uma Escapadela Altimétrica – parte I

Contraste. Substantivo Masculino. Oposição ou variação de luz, tons ou cores. Diferença considerável. Comparação para verificar diferenças. Oposição entre pessoas ou coisas. in Diccionário Priberam da Língua Portuguesa.   Se uma palavra existe que permita ao Velopata descrever sucintamente o que foram aqueles três dias de Escapadela Altimétrica à qual ele (o Velopata), acompanhado do seu …

Continue lendo Uma Escapadela Altimétrica – parte I