A Volta ao Strava em 82 Ciclistas

O Velopata sabe.

A semana que passou não foi lançado no espaço internético que é este blog nenhum texto alucinado ou aventura sobre duas rodas sem motor. A verdade, pura, dura e crua, é que o Velopatazinho a muito esforço tem obrigado mas lá está, ninguém disse que criar um futuro campeão vencedor de grandes voltas seria tarefa fácil.

Obviamente os milhares de fãs que dependem deste vosso amigo para inspiração velocipédica começaram a ressacar e também o Velopata ressacou, a diferença é que no caso velopático a ressaca deveu-se à abstinência de nicotina que a muito sofrimento e pensamentos homicidas tem levado.

Como tal e uma vez que os mui queridos leitores não tem culpa nenhuma dos ignóbeis vícios a que o Velopata se entregou na sua adolescência, sem mais demoras, siga para a análise da prestação mensal dos membros da The Velopata Ultra Division.

JERSEY PAPA-QUILÓMETROS

1º Velopata – 2422,8 km

2º José Pais – 2129,7 km

3º Rolling Stone Amílcar – 1731,3 km

Em antes que acusem o Velopata de ser mau pai e passar mais tempo a pedalar que a mudar as fraldas carregadas de restos das granadas de fragmentação que o seu rebento produz, tenham em conta que a Srª Velopata é uma mulher com F maiúsculo (F de fêmea, não sejam ordinários), e que tem auxiliado o pobre Velopata a regressar à carga após o que foi um miserável mês velocipédico de Maio. Assim, aproveitando a licença de paternidade aliada a férias em atraso lá onde ele afincadamente trabalha, o Velopata pode meter uma louca dose de quilometragem nas suas pernas.

A quilometragem foi tanta que rendeu uma nova sapatilha traseira na Estrela Vermelha e dois escaldões nos braçinhos etíopes do Velopata que se assemelham agora a pele de cobra morta, daquelas que todos os adeptos velopáticos que praticam este nobre desporto decerto já encontraram por esse alcatrão serrano fora.

A motivação para pedalar por largas horas foi ainda potenciada pela Srª Velopata que, sabendo ser Junho o mês do aniversário velopático, ofereceu ao Velopata uns pedais Shimano 105, daqueles que são carbono, mesmo só carbono, totalmente carbono, 100% carbono, full aero carbono. Quanto a este pormenor técnico, aguardem uma review para breve.

A papar uma módica quantia de 606 quilómetros semanais a única ameaça à vitória do Velopata nesta jersey só poderia vir de José Pais, um Real Distribuidor de Carochas oriundo de Viseu que, aquando da sua entrada no clube, afirmou que seria o vencedor “dessa coisa toda”. Claro que o orgulho velopático sentiu-se ameaçado e a guerra velocipédica teve início. Veremos como evolui mas para já o Velopata leva vantagem.

Em terceiro lugar temos Rolling Stone Amílcar um imigrante tuga a viver na terra do canivete multi-funções, chocolate, offshores e queijo com buracos que é a Suíça. Diga-se que este moço de “Calhau rolante” tem pouco ou nada – atentem na volta que o alucinado protagonizou a 27/06/2017;

rollingstonemaluco1

rollingstonemaluco2
“The Hills are alive with the sound of music…” – cantava a outra. Deves cantar deves… Depois de uma dose destas.

O Velopata não conhece o doido em questão mas se estiver a ler estas linhas Monsieur Calhau Rolante Amílcar, fique sabendo que já ganhou o respect do Velopata e faz favor avisar quando vier até ao Reino dos Algarves para se combinar uma voltinha e quem sabe, uma aventura!

Destaque ainda para o velodoido Tiago Neves que apesar de não ter conseguido um lugar no pódio velopático, protagonizou várias belas e sucessivas voltas ao longo de vários dias atravessando Portugal de oeste a este, com passagem pela Serra da Estrela.

tiagonevesoesteaeste
Camarada Tiago Neves, subir à mítica Torre com essa traquitana toda na bina que ainda por cima não aparenta ser full carbon aero carbon 100% carbon não deve ter sido pedalada fácil. Respect!

JERSEY CARAPAU DE CORRIDA

1º Mini Pro Ressabiado

2º Jorge Gaspar

3º Pro Ressabiado

Será que estes gajos não sabem pedalar devagar??? Mais uma vez o Mini Pro Ressabiado leva esta jersey para casa, mas o Velopata sabe que as elevadas médias que o moço tem efetuado devem-se à felicidade do xixi, uma vez que a sua Shockblaze, a tal marca de quadros cujo nome lembra uma marca de gel para cabelo, foi finalmente substituída pela Canyoncoiso, já regressada do estaleiro. Em vez de aproveitar e adquirir uma BH (Bicicleta de Homem)… Há malta que não aprende.

Parabéns ao Jorge Gaspar, um batráquio algarvio que se vem intrometer entre ciclistas a sério, mostrando que também os batráquios podem, devem e sabem ressabiar à grande.

JERSEY CABRA DA MONTANHA

1º Velopata – 33877 m

2º Rolling Stone Amílcar – 32930 m

3º José Pais – 31827 m

Novamente o Velopata na linha da frente acompanhado do Calhau Rolante Amílcar e do Real Distribuidor de Carochas José Pais que novamente se vê relegado para outro lugar do pódio que não o primeiro. Será castigo por ter tratado de maneira tão displicente a restante concorrência do clube?

JERSEY ALUCINADO DIÁRIO

1º Carlos Aboim – 55 voltas

2º Carlos Franco – 54 voltas

3º Frank Louis Gaston – 50 voltas

Carlos Aboim, um dos outros imigrantes do clube a viver por terras de Sua Majestade Brexitiana, continua sem dar grandes hipóteses no que diz respeito ao número de voltas praticadas durante o mês. Mas eis que temos no horizonte velocipédico um Senhor Carlos Franco, oriundo de Portimão, que também lhe dá forte e feio com a diferença que este senhor consegue meter nas pernas 54 voltas mensais e muitas delas acima dos cem quilómetros. É também um forte candidato à jersey de Papa-quilómetros tendo perdido o lugar do pódio que conseguiu nesta categoria no mês de Maio. Veremos como evolui para o mês de Julho.

Em terceiro lugar temos ainda um dos poucos atletas de etnia africana presentes no clube, Frank Louis Gaston, também ele proveniente da Bifolândia. Para já conta com 50 voltas mensais mas tendo em conta o Brexit, o Velopata ainda aguarda a decisão dos ministros lá da ilha pobre e mal agradecida à UE para saber se atletas agora considerados extra-comunitários podem ser contabilizados para o clube ou não. Neste campo, o Velopata aguarda ainda uma decisão do Tribunal Arbitral da Comissão da Junta do Consórcio da Velopatia.

JERSEY MELHOR BATRÁQUIO

1º O Grande Batráquio

2º João Pedro Oliveira

3º Pro Ressabiada

Palavras para quê. É melhor O Grande Batráquio aproveitar os saldos dos fabricantes de mobiliário sueco e adquirir quanto antes um armário de maiores dimensões onde possa guardar todas as jerseys que parece destinado a vencer. Será que não existe pelo clube nenhum batráquio que sinta a sua honra anfíbia ofendida e o tente derrubar do nenúfar?

Pior, em terceiro lugar apresenta-se uma fêmea batráquia, a Pro Ressabiada e isso, por si só, deveria ser motivo de orgulho ferido para os restantes machos batráquios do clube. Já não se fazem machos batráquios como antigamente…

JERSEY LANTERNA VERMELHA

LTD Correia

Pelo segundo mês consecutivo LTD Correia lidera no gajo que menos quilómetros mete nas pernas. 8,9 quilómetros por semana é caso para dizer; “será que o moço sabe que isto é uma aplicação e clube para ciclistas?”.

JERSEY MELHOR MACHO RESSABIADO

1º Velopata

2º Mini Pro Ressabiado

3º Rui Miguel Rosa

Não lixem o Velopata. Vencedor de 2 jerseys (Papa-Quilómetros e Cabra da Montanha), para além de vencedor da competição internacional promovida pela marca Evade como o gajo que mais quilómetros fez em Junho e é sem dúvida justo que o Velopata vença, pelo que será a primeira e provavelmente última vez, a jersey de Melhor Macho Ressabiado.

Até porque a sua performance está em níveis nunca antes vistos. Recentemente, durante um treino conjunto com malta ressabiante como o Pro Ressabiado, o Mini Pro Ressabiado, o Moço do Treco e outros comparsas, o Velopata carregou na frente do grupo de tal modo que até se tornou necessário parar para aguardar pela restante troupe. Muita forte.

Em terceiro lugar temos um regresso há muito esperado. Forçado a paragem devido a compromissos cirurgiopédicos, Rui Miguel Rosa regressou à carga e de que maneira. Rapidamente tem acumulado quilometragem da boa e umas médias impressionantes para quem esteve tanto tempo parado auguram mais um forte candidato não só a esta jersey como também à Jersey Carapau de Corrida. Esperemos para ver como evolui este forte atleta que promete ressabianço à grande.

JERSEY MELHOR FÊMEA RESSABIADA

1º Verónica Fernandes

2º Pro Ressabiada

3º Peaceful Cycling

Quanto à categoria de Melhor Fêmea Ressabiada o Velopata só encontra uma palavra – campeãs. As 4 membras da elite velopática não dão hipótese e parecem vencer quaisquer provas onde entrem. Pena mesmo é serem só quatro. Parece que não há maneira de se enriquecerem as fileiras femininas do clube; será por medo da cambada de rebarbados que por aqui pululam?

Está assim completa a análise do mês de Junho na The Velopata Ultra Division. Veremos como corre o mês de Julho que, após a publicação deste texto, promete ressabio à grande!

Como sempre podem enviar sugestões e/ou reclamações para:

sequiseresconheçoumbompsicólogo@velopataéomaiormail.com

 

Abraços velocipédicos,

Velopata

Um comentário sobre “A Volta ao Strava em 82 Ciclistas

  1. Pingback: Divisão Velopata – Julho e uma carocha do tamanho de “Biseu” – Blog do Velopata

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s