To Pro or not to Pro

Se há pergunta que todo o ciclista já ouviu, seja de um colega de métier, amigo ou até mesmo familiar, é a seguinte;

“Olha, esta semana começa a Volta ao Algarve. Vais participar?”.

(Nota velopatóide: podem substituír Volta ao Algarve por Volta a Portugal que a lógica é a mesma).

A sério?

Mas que raio de pergunta é esta?

Será que este nosso mui nobre desporto chegou a um estado tão deplorável que qualquer gajo que pega numa bicicleta ao fim de semana para competir (deve ler-se brincar às bicicletas), com os seus párias pelo título de gajo mais rápido a atingir o tasco na serra já é considerado apto para participar numa prova de ciclismo profissional?

Ou será que os civis não têm a mínima noção de que existem mais desportos profissionais no planeta para além daquele onde vinte e dois gajos andam a chutar um objecto esférico de poliuretano de um lado para o outro?

O Velopata conhece muitos doentes de futebol que chegam mesmo a congregar-se para “dar uns toques” em amena cavaqueira. E a esses o Velopata nunca ouviu ninguém perguntar se quando a seleção nacional de futebol vai para o Mundial ou Europeu, se tinham sido convocados. Ou mesmo se nesse fim de semana, já que o Freixo-De-Espada-À-Cinta Futebol Clube joga contra o Clube Desportivo de Cabidelos de Baixo, esse grande derby, se iam participar.

Quando confrontado com esta pergunta, regra geral, o Velopata responde uma das duas opções abaixo;

“Não, este ano já não vou. Venci tantas edições nos últimos anos que a organização pediu-me para deixar de participar e dar oportunidade a outros.”.

“Epá não posso (e reduzindo o volume vocal como se partilhásse um segredo), é que sabes… Este ano estou a fazer um tratamento à base de… Bem… Enfiar 1 beterraba por dia no cú que diz que aquilo dá um power… Só que é considerado doping e acusa se me fizerem análises por isso para o ano, com este tratamento, vou lá para ganhar e o caneco é meu de certeza!”.

Claro está que o semblante de quem fez a ignóbil questão muda radicalmente enquanto enfiam a viola no saco. Alguns ficam claramente ofendidos, outros há que se riem e há os que ainda não satisfeitos se tentam justificar – “Também não é preciso responderes assim. Como às vezes dizes que participas em corridas…”. O que é engraçado pois os Granfondues que pululam pelo nosso belo país têm todos uma característica comum que é sempre referida pela organização – o evento não é de carácter competitivo. Esta alínea dos regulamentos deixa sempre o Velopata com um nó no cérebro – se o evento não é de carácter competitivo porque razão está a organização, num momento em que as bicicletas cada vez mais se assemelham a i-bicicletas com uaifai, dente azul e medidores de todos os parâmetros que o leitor possa imaginar além do tempo total de pedalada, a cronometrar os tempos que os atletas-de-fim-de-semana demoram a completar o percurso?

E já agora; se o evento é não competitivo porque razão existe um pódio onde se atribuem prémios aos 3 primeiros gajos, por norma os mais solteiros e mais magros, que passam a meta?

 

Abraços velocipédicos,

Velopata

5 comentários sobre “To Pro or not to Pro

  1. Nao vejo mal na pergunta. Contrariamente ao futebol, esse sim desporto rei, o ciclismo permite a participacao sem convocacao. E arranjar uma equipa e dinheiro e ja esta. Tenha-se ou nao a qualidade necessaria. Se o ciclista depois morre no Barranco-do_velho por paragem cardiaca ja e problema dele. Agora, nem que queira um futebolista domingueiro pode ir jogar com a seleccao… tem de atempadamente federar-se, arranjar clube (nao exactamente por esta ordem), jogar no estrangeiro ou num dos tres grandes e ter o Jorge Mendes como empresario… e depois la para o fim e que chega a seleccao.

    Nao vejo mal na pergunta. E quase como perguntar “Pa, tu que gostas de correr aos domingos, vais participar no cross das amendoeiras”, e um gajo responde “vou, mas so por pirraca vou ficar em ultimo que e para os gajos da meta anharem la ao frio ate eu chegar”.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Errado. No ciclismo existem escalões, como no desporto onde passam 45 dos 90 minutos a atirar-se para o chão fingindo lesões. Há World Tour, Continental Pro, Continental… Também as corridas têm escalões, limitando os acessos das inúmeras equipas. E achas que existe uma Federação de ciclismo para quê? Tens de estar federado tb!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s